Ficar ou Sair?! Eis a questão.

3 dez

Barracas de praia lutam para permanecer na Praia do Futuro e não serem demolidas. Apesar de todo o problema as barracas contam com estruturas invejáveis que oferecem qualidade e requinte para quem chega, “cartada” esta que garante por enquanto a permanencia das mesma no local. Ao que tudo indica, isso é só por enquanto.

 
 
 

Panorâmica da Praia do Futuro

 

Mapa da Praia Do Futuro

Com aproximadamente 6 km de extensão, possui um corredor de barracas, feitas de palha de carnaúba, onde é também preparada uma variedade de pratos típicos. Ocupa 8, dos 25 quilômetros da capital. Faz divisa: oeste com a praia do Mucuripe, e leste com a praia do Caça e Pesca/Sabiaguaba (foz do Rio Cocó). Suas barracas tem diferentes estruturas e diferentes frequentadores. Localiza-se afastada da área urbana e por isso possui águas mais limpas e ventos fortes. Estou falando de um verdadeiro paraíso chamado Praia do Futuro que é o principal atrativo não só dos fortalezenses, mas de turtistas do mundo inteiro. 

“Oh! Quanta saudade que eu tenho de lá” assim já dizia Fagner, grande cantor nordestino exaltando a saudade das belas praias que aqui se econtram. No entanto, não é só Fagner que derramará lagrimas de saudades. A justiça Federal no Ceará determinou a demolição das barracas da Praia do Futuro, em Fortaleza. O juiz federal José Vidal Silva Neto da 4ª Vara Federal julgou procedente ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal, União e Município de Fortaleza, contra 154 proprietários de estabelecimentos comerciais instalados naquela área litoranea.

Alexandre Meireles

                                                                                                                                                     

Alessander Sales

Os procuradores afirmaram que os proprietários das barracas realizaram obras e construções sem estudos de impacto ambiental. Ao perguntar se existia a possibilidade de se fazer um acordo com os “barraqueiros” Alessander Sales respondeu- “Não podemos fazer um acordo com as barracas quando a legislação é clara sobre o destino de edificações construídas em áreas de praias”. Questionado sobre o impacto da retirada das barracas quanto aos empregos gerados, o procurador lembra que esse aspecto também foi citado na decisão. “Esse é um argumento que não se sustenta, porque, na verdade, é possível requalificar o espaço urbano gerando até mais empregos que o espaço gera hoje”, pontua.

Fátima Queiroz

 A Presidente da Associação dos barraqueiros da Praia do Futuro, Fátima Queiroz afirmou que a promotoria está sendo contraditória com sua própria decisão dada há 40 anos. Segundo ela, as barracas passaram a ser construídas na orla da Praia do Futuro seguindo ordem da justiça, pois, antes, ficavam localizadas na Av. Dioguinho. A justiça determinou que fossem retiradas da Av. Dioguinho, para o alargamento da mesma, passando assim, as barracas, a serem construídas na orla da Praia do Futuro. Os procuradores entrevistados afirmaram que os barraqueiros  manipulam a mídia a seu favor, porém Fátima Queiroz afirma que “ Isso é conversa afiada da promotoria. A mídia nos dias de hoje não tem como ser manipulada, pois ela mostra o que quer e está mostrando os dois lados da moeda neste impasse”.

Muitos são os problemas discutidos por ambas as partes. O que se sabe é que enquanto a sentença estiver em vigor, fica proibida a realização de quaisquer obras ou benfeitorias que modifiquem o estado atual das barracas. Por último, o documento postula “a desocupação, demolição e remoção de todos os estabelecimentos com irregularidades”, se necessário, até com força policial.

Como em qualquer lugar, muitos são os defeitos que existem nas barracas da Praia do Futuro, no entanto, nada supera a beleza que as barracas oferecem para todo tipo de público. Muitos descordam quando escutam dizer que a praia de Fortaleza é ruim- “Quem acha que as praias em Fortaleza,não prestam ,está redondamente enganado ou não as conhece direito, ou foi mal recebido em alguma barraca ou na certa deve ter um gosto muito apurado. A praia é linda, limpa, cheia de boas barracas, bons tira-gostos, calçadão todo iluminado, caranguejos à vontade, preços acessíveis ” , disse Vanessa Bruto de Goiânia. O carioca Ricardo Almeida também afirma que “Desconheço alguma praia do Nordeste que possua a infraestrutura da Praia do Futuro em Fortaleza. Alem da beleza própria das praias cearenses (sem bairrismo) a Praia do Futuro possui barracas muito bem equipadas que alem do trivial (cerveja, frutos do mar, etc.) oferecem shows musicais e humorísticos de muito bom gosto e, o mais surpreendente, grátis! É mole ou quer mais?!”

  É realmente uma pena as nossas belas barracas terem que passar por todo esse impasse. Apesar de toda grandeza e entretenimento que elas oferecem, como piscinas, playgrounds, shows humorísticos e muitos outros atrativos, a lei é clara quando diz que as barracas estão prejudicando o meio ambiente e se tratando dele é possível entender em parte toda essa situação. O jeito é esperar e ver no que vai dar, enquanto isso aproveitemos o verdadeiro paraíso repleto de muito sol, água de coco e humor localizado aos nossos pés.

Saiba mais

Linda música do Fagner falando sobre as praias de Fortaleza

Barraqueiros entrarão com recursos contra demolições

Barracas de praia devem ser removidas para obra no Icaraí

 

Vamos aproveitar as férias! ;*

Dia da Consciência Negra

21 nov

Ontem foi sem dúvida alguma,uma data muito especial para milhares de negros em todo o Brasil. Pensando nisso, achei mais do que digno falar um pouco sobre essa data e conseqüentemente elogiar esse povo, que aumenta a riqueza do nosso país tanto do lado cultural quanto do lado étnico. Estou falando do Dia Da Consciência Negra.

O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra. Importante ressaltar que a data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695 e deve ser lembrada principalmente pela resistencia no negro á todo tipo de escravidão, desde o primeiro transporte forçado de africanos para o solo brasileiro (1594).

Eventos educativos e palestras são ministrados anualmente, visando principalmente as crianças negras, evitando assim o desenvolvimento do auto- preconceito. Além disso, outros temas debatidos pela comunidade negra e que são debatidos nesse dia são- inserção do negro do mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.

“Aos trancos e barrancos”, depois de muita peleja e reconhecimento da data, os negros conseguiram mais uma vez dar a volta por cima, festejando essa semana com um grito de independencia e não como uma suposta “generosidade” que fora oferecida pela Princesa Isabel como muitos acreditavam.

Não é questão de cor, é questão de  RESPEITO e INCLUSÃO SOCIAL, afinal, todos somos iguais.

Veja mais:

Lindo Vídeo sobre o dia da Consciência Negra.

;*

Pense nisso…

17 nov

“Se todo comercial fosse assim” é o título que está no youtube de um linda propaganda que tenta não somente vender o seu “peixe” ,mas vender acima de tudo qualidade de vida! Realmente se todo comercial fosse assim, parte do nosso mundo seria bem melhor.

Boas atitudes, revelam grandes mudanças…

Beijooo

Peixe-Vivo

5 nov

Notícia retirada do portal abril

A edição desse mês da revista National Geographic Brasil teve como capa o simpático e dócil peixe-boi marinho que já foi considerado extinto da costa brasileira. Após anos de trabalho intenso para contribuir com a recuperação da espécie, esse bichinho volta a nadar tranquilamente em mares calmos.

Foto tirada por Luciano Candisani

Foi exatamente nas águas do rio Tatuamunha que se iniciou um lindo projeto de conservação marinha do país. O rio possui 135 quilômetros de extensão, entre as cidades de Tamandaré, em Pernambuco, e Paripueira, em Alagoas. O local foi escolhido por possuir uma imensa quantidade de nutrientes á fauna marinha. Pensando nisso, a região foi palco de uma experiência inédita em 2010- A reintrodução de três filhotes de peixe-boi com pouco mais de dois anos de vida.

O mais interessante em todo esse projeto é acompanhar a adaptação que eles podem ter á vida selvagem, uma vez que foram criados em cativeiro. Os filhotes representam uma esperança para conservação e mantê-los vivos é um passo fundamental para a continuidade da espécie. No mais, é importante lembrar que o peixe-boi já foi abundante no litoral brasileiro, infelizmente com a pesca ilegal, muitos entraram em extinção.

A idéia e suas extensões

Foi em 1980 que vazou a notícia de que peixes-boi ainda resistiam na costa do país. A descoberta feita por dois oceanógrafos pegou muitos desprevenidos e foi sem dúvida alguma alarmante. Tanto que, no mesmo ano nasceria o projeto Peixe-Boi Marinho- hoje um dos mais bem-sucedidos programas de conservação da vida selvagem no Brasil.

Importante ressaltar que introduzir um animal em extinção é uma atividade delicada e por isso deve-se contar com ajuda de todos. Dessa forma projetos como o Igarakuê ( na língua indígena, tupi-guarani, “ Peixe-Boi”) criado pelo ex-chefe do projeto, o oceanógrafo Régis Pinto de Limaque viajou desde o norte da Bahia ate o rio Oiapoque, no Amapá, visa conscientizar as pessoas sobre a situação do peixe-boi e ensiná-las a comunicar á sede em caso de encalhe.

No futuro

Quanto mais o homem procurar estudar e estimular os outros a se aprofundar no assunto, desenvolver novos projetos e estabelecer metas, o futuro não só dos peixes-boi estarão garantidos, mas de todos os animais que hoje encontram-se em extinção. Com tais estudos, no futuro os pesquisadores poderão planejar melhor as solturas na natureza.Segundo a bióloga Fábia Luna- “ Animais com maior variabilidade genética serão libertados onde há maior ocorrência de cruzamentos entre parentes”.

É importante que o ser humano conheça e tenha consciência de que desempenhar papéis em prol de causas como esta faz total diferença quando se trata de animais em extinção. Reintroduzir o peixe-boi a natureza, é alimentar de esperanças os mares com um rico ecossistema em eterna evolução.

Voce pode conhecer um pouco mais sobre o projeto acessando:

projeto peixe-boi

Vídeos sobre o assunto

Blog sobre meio-ambiente ( Ingridy)

Camila Coelho Pompeu

Palmada Pedagógica, uma violência que educa?

19 out

 

Foto: Denise Ribeiro

Bater ou não bater? Eis a questão.

A lei antipalmada está provocando muita discussão entre os pais, psicólogos e até os filhos. A proposta do governo, que foi discutida na Câmara e no Senado, proíbe palmada, beliscão e qualquer tipo de castigo físico que provoque dor em crianças e adolescentes.

Entrando nessa onda de disciplinar os filhos com uma palmadinha misturado com o espírito protetor do nossoDeus pã, surge a seguinte pergunta: Palmada pedagógica, é ou não uma violência que educa?

O projeto de lei foi apresentado em 2003 pela deputada Maria do Rosário (PT-RS) e rejeitado pelo Legislativo. A proposta surgiu a partir de uma pesquisa realizada ao longo de trinta anos pela Universidade de São Paulo com crianças que sofriam castigos físicos na infância. O estudo demonstrou que quando elas se tornavam adultas, reagiam agressivamente em situações em que não necessitavam ter uma ação violenta.

 De acordo com a nova lei, que ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional, o pai ou a mãe que der uma palmada na mão do filho, que, por exemplo, insiste em enfiar o dedo na tomada elétrica ou que faça birra em um supermercado porque a mãe não comprou alguma coisa que queria, poderá se sujeitar a penas que variam da advertência à obrigatoriedade de se submeter a acompanhamento psicológico ou programas de orientação à família.

Revista Veja

O mais incrível, é que uma pesquisa realizada pelo Datafolha revela que 54% dos brasileiros que já apanharam muito quando crianças são contra o projeto de lei que proíbe pais e responsáveis de darem palmadas em crianças. Outros 36% declararam apoio à proposta, encaminhada ao Congresso pelo presidente Lula.

Conversando com uma colega psicóloga chamada Helena Gonçalves, ela esclarece: “É claro que os filhos precisam de limites, hoje em dia há uma inversão de autoridade. Os filhos, em muitas famílias mandam nos pais. A lei não é funcional” e diz mais: “No meu ponto de vista, a palmada não é necessária. Segurar firme, dar uma leve chacoalhada e se abaixar até a altura da criança para repreender, são algumas das maneiras de educar os filho sem passar dos limites”, destaca. Já a professora Marlene Leal do colégio Recanto de Fadas onde estudei em Salvador diz: “Sou a favor da palmada, mas de forma moderada. Quando conversar não adianta mais, acho que ela estabelece limites”, salienta. Indignada, conclui dizendo a seguinte frase: “Os pais é que devem decidir como educar seus filhos, não o governo. Acho essa lei uma invasão de privacidade”.

Entre diferentes opiniões acredito que uma palmada de vez em quando é necessário sim! Lembro-me muito bem quando minha mãe uma vez me disse que eu apanharia se continuasse fazendo coisa errada, no final acabei apanhando e aquilo serviu como exemplo para eu não aprontar mais. Uma palmada não é sinônimo de violência, é apenas uma ação que serve muitas vezes para disciplinar a criança,afinal quem ama cuida,seja como for.

 ·         Realizei uma enquete com alguns amigos, e fiz a seguinte pergunta:

Você concorda com a nova “Lei da Palmada”?

 Sim29, 47%           Não70, 43%

Leia mais:
Especial:
Vídeo:
Camila Coelho Pompeu

Só faltava essa…

8 set

Gente,estou indgnadíssima!!!!

Estava viajando pela internet e como de costume entrei no G1 para vêr o que de bom ( o que vamos combinar é bem pouco) e o que de ruim estava acontecendo nesse mundo.Dei uma olhada em algumas notícias que me interessavam até para o cursor do mouse em uma matéria que só me deixou mais preocupada com a situação em que as pessoas se encontram hoje em dia.

A matéria falava sobre um peruano que tinha morrido da forma mais irracional possível! O tal peruano tinha morrido após vencer um concurso de bebedeira que provocou uma intoxicação no seu organismo!!!Gente isso é um absurdoooo!!!!! Será que as pessoas não percebem que isso não leva ninguem a lugar nenhum??? Afinal,estamos no mundo para crescer ou para ou para regredir??? Decepcionante, sem dúvida alguma….

Hernando Lorenzo Quiroz, esse era seu nome, tinha 50 anos de idade e ao que parece pouca “coisa” na cabeça,mas a culpa principal não é dele e sim dos que organizaram esse absurdo! As pessoas devem começar a pensar no que se deve ou não fazer.Que mundo é esse em que as pessoas estão matando por besteira,morrendo por besteira? Esse e outros fatos servem para gente começar a mudar o rumo das coisas e eu precisava postar isso no meu blog. Os novos meios de comunicação estão aqui para isso, e EU uso e abuso o quanto for preciso afim de ajudar de qualquer forma o mundo a melhorar!

Aqui está o link com a matéria (peruano morre após concurso de bebedeira). É isso gente,precisava desabafar,kkkk.

Obs: Comentem ta?? Falem o que acham disso e ajudem a salvar aquilo que está muito proximo de se acabar! ;(

Abraços, Camila Pompeu

Bem Vindos!!!

3 set

Θεός Πάνας, ο φύλακας των κοπαδιών και σύμβολο του σύμπαντος.

Caros Deuses internautas…

Viajar no mundo mitologico sempre foi muito mágico para mim,conhecer mitos,desvendar misterios e entender um pouco do comportamento humano faz parte da minha vida. Pensando nisso e na vontade que eu sempre tive de criar um blog para mim,surgiu o Mundo Pã.

Pã era o Deus dos bosques,rebanhos,campos e pastores da mitologia grega.Era representado com orelhas,chifres e pernas de bode.Era temido por todos aqueles que necessitavam atravessar as florestas à noite, pois as trevas e a solidão da travessia os predispunham a pavores súbitos, desprovidos de qualquer causa aparente e que eram atribuídos a Pã; daí o nome panico. Além disso tudo,tornou-se símbolo do mundo por ser associado à natureza e simbolizar o universo.

Sejamos então como o Deus Pã, guardiões do mundo,guardiões de nossos rebanhos.Sejamos tambem símbolo de preocupação e esperança de um dia melhor.A palavra “pânico” retrata justamente todos os nossos medos e aflições na dúvida de um final feliz.

Enquadrar o Deus Pã no contexto de mundo atual,é uma forma de fazer com que cada um de nós,passe á cuidar do que é nosso.Relatos sobre absurdos,protestos e informações do que acontece a nossa volta são fundamentais para construir novos olhares e construindo novos olhares, teremos sem dúvida alguma, um Mundo melhor!

Βασίζομαι σε σας! (conto com vocês)

Beijoooosss